Atenção Atípica no Transtorno do Espectro Autista: Reflexões voltadas à intervenção

  • Joanna de Paoli Universidade de Brasília (UnB)
  • Juarez Oliveira Sampaio Universidade de Brasília (UnB)

Resumo

Pretendeu-se com este estudo, promover uma reflexão acerca da gênese e do desenvolvimento da atenção da criança, dentro de um sistema interfuncional complexo e de algumas de suas especificidades nas condutas de pessoas com o Transtorno do Espectro Autista (TEA). Nosso foco se direcionou, especialmente, para o estudo da atenção compartilhada (conjunta) que, segundo o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5, 2014) e estudos da área, apresenta-se prejudicada ou com a ausência dos gestos indicativos em crianças com autismo. Essa concepção foi problematizada neste artigo com estudos de pesquisadores que discutem amplamente o tema sob o aporte da Teoria Histórico-Cultural, matriz que fundamenta nossos argumentos. Como conclusão do estudo interpretamos que não se pode admitir que crianças com autismo não desenvolvam atenção compartilhada por não se apropriarem dessa conduta de modo típico. Destacamos a existência de comportamentos compensatórios que se diferenciam de condutas habituais, dessa forma, defende-se que a atenção, em realidade, manifesta-se atipicamente nas pessoas com autismo. Por fim, enfatizamos a importância do papel crucial da práxis envolvendo ações coletivas, pois podem propiciar trocas enriquecidas entre pares com distintas experiências e provocar o desenvolvimento de diversas naturezas em cada um dos participantes do grupo.

Publicado
Mai 29, 2020
##submission.howToCite##
PAOLI, Joanna de; SAMPAIO, Juarez Oliveira. Atenção Atípica no Transtorno do Espectro Autista: Reflexões voltadas à intervenção. Revista Com Censo: Estudos Educacionais do Distrito Federal, [S.l.], v. 7, n. 2, p. 206-215, maio 2020. ISSN 2359-2494. Disponível em: <http://periodicos.se.df.gov.br/index.php/comcenso/article/view/874>. Acesso em: 03 jul. 2020.