As contribuições da Teoria Histórico-Cultural e dos estudos de defectologia de Vigotski para a conceituação/compreensão da pessoa com deficiência intelectual

  • Fabiana Luzia de Rezende Mendonça SEEDF
  • Fabrício Santos Dias de Abreu Secretaria de Estado de Educação / Universidade de Brasília
  • Marina Teixeira Mendes de Souza Costa SEEDF
  • Daniele Nunes Henrique Silva Universidade de Brasília

Resumo

Esse texto tem como base as premissas da Teoria Histórico-Cultural, de modo especial, as contribuições dos estudos de defectologia de Vigotski acerca da compreensão do desenvolvimento da pessoa com deficiência intelectual, principalmente, o fato de que é na vida social que o sujeito encontra recursos para a constituição de suas funções psicológicas e para o desenvolvimento de processos de compensação. Discute-se, historicamente, as implicações dos paradigmas (médico e clínico) que vem orientando a definição, avaliação e a classificação dos sujeitos com deficiência intelectual para as práticas educacionais. Em contraponto, são apresentadas as assertivas de Vigotski, as quais evidenciam a necessidade de reformulação e ressignificação das concepções e práticas de ensino-aprendizagem, de ser humano e sua diversidade, do papel do professor e da educação na atual sociedade para que, os sujeitos com deficiência intelectual possam vivenciar, de modo efetivo e pleno, os processos de inclusão em sua vida escolar e social.


Palavras-chave:  L. S. Vigotski. Defectologia. Deficiência intelectual. Desenvolvimento. Compensação.

Publicado
Mai 29, 2020
##submission.howToCite##
MENDONÇA, Fabiana Luzia de Rezende et al. As contribuições da Teoria Histórico-Cultural e dos estudos de defectologia de Vigotski para a conceituação/compreensão da pessoa com deficiência intelectual. Revista Com Censo: Estudos Educacionais do Distrito Federal, [S.l.], v. 7, n. 2, p. 165-172, maio 2020. ISSN 2359-2494. Disponível em: <http://periodicos.se.df.gov.br/index.php/comcenso/article/view/862>. Acesso em: 03 jul. 2020.