Cultura e natureza na poesia brasiliense de Paulo Tovar

  • Regina Coelly Fernandes Saraiva Universidade de Brasília

Resumo

Brasília é uma cidade muito além do aço e concreto. A cidade, nos anos 1970, configurou sua identidade a partir de expressões culturais que foram se delineando pelas ações de jovens que, ao se transferirem para Brasília com suas famílias, perceberam a cidade e seu potencial cultural. A cidade foi traduzida por esses jovens por meio da música e da poesia e, entre eles, estava Paulo Tovar. A poesia de Tovar, muitas vezes musicada, traduziu Brasília como cidade modernista, mas também como cidade-sertão, nos moldes de quem vivenciou e carregou consigo a tradição sertaneja. Paulo Tovar nasceu em Catalão, interior goiano, e era um observador da natureza do Cerrado. Sua poesia traduziu a cidade por meio do movimento poético que se tornou conhecido como “poesia de mimeográfo” ou “poesia ambulante”, expressão cultural da Capital nos seus primeiros anos. A cidade e sua natureza foram registradas pelo poeta em um momento que ainda não se falava de conservação ambiental.  Tovar transgrediu o momento político da ditadura civil-militar e, junto com outros poetas e músicos da cidade, liderou o movimento que denunciava a cidade silenciada. A poesia, tornou-se pública nas paredes, nos ônibus, nas paradas de ônibus, nas ruas. Músico, poeta e Cidadão Honorário de Brasília, desde agosto de 2010, post mortem, soube, como poucos, traduzir Brasília. O poeta marcou época, contribuindo para que hoje a gente possa entender Brasília nos seus 60 anos.

Publicado
Mai 29, 2020
##submission.howToCite##
SARAIVA, Regina Coelly Fernandes. Cultura e natureza na poesia brasiliense de Paulo Tovar. Revista Com Censo: Estudos Educacionais do Distrito Federal, [S.l.], v. 7, n. 2, p. 104-109, maio 2020. ISSN 2359-2494. Disponível em: <http://periodicos.se.df.gov.br/index.php/comcenso/article/view/801>. Acesso em: 03 jul. 2020.