As crianças que brincam são as mesmas que aprendem brincando

  • Alice Maria Corrêa Medina Universidade de Brasília

Resumo

O artigo apresenta e discute a importância dos brinquedos e brincadeiras no processo de desenvolvimento das crianças na Educação Infantil. A definição de uma ação produtiva nesse contexto, ainda está relacionada à produção cognitiva, ou seja, é considerada como o mais importante.  Conhecer o humano é reconhecer as várias dimensões que o compõe. A cognição, o movimento, a emoção, a cultura, os afetos e, também, os saberes infantis, no contexto da infância, são elementos relacionais para o desenvolvimento dos processos de aprendizagens. Suprimir a infância com o objetivo de atender ou priorizar uma dimensão do potencial humano é restringir o desenvolvimento e a ampliação das capacidades infantis. Um fato preocupante, atualmente, de um modo geral, é a redução progressiva das atividades relacionadas ao brincar, em função de alguns aspectos do mundo globalizado.  Entre esses fatores, o uso indiscriminado da tecnologia na infância. A brincadeira e o brincar são ações que, independentemente, de uma condução ou orientação pedagógica, constituem-se como formas de aprendizagens. Geralmente, estão envolvidas, por ambiente descontraído, permitindo as crianças uma liberdade para se expressar. As discussões sobre o brinquedo e a brincadeira na Educação Infantil poderão promover uma maior sensibilização para as questões que abordam os processos de educação e o desenvolvimento das crianças na infância.

Publicado
Abr 18, 2018
##submission.howToCite##
MEDINA, Alice Maria Corrêa. As crianças que brincam são as mesmas que aprendem brincando. Revista Com Censo: Estudos Educacionais do Distrito Federal, [S.l.], v. 5, n. 2, p. 83-86, abr. 2018. ISSN 2359-2494. Disponível em: <http://periodicos.se.df.gov.br/index.php/comcenso/article/view/367>. Acesso em: 16 ago. 2018.