Laboratório sensorial como estratégia educacional para o desenvolvimento de percepções nos estudantes do curso de formação de técnicos em saúde bucal

  • Fabiana Maria Montandon FEPECS/ETESB
  • Gislaine Ribeiro de Oliveira Margon da Rocha
  • Luiz Guilherme Loivos
  • Ana Socorro Moura

Resumo

O presente trabalho relata a experiência da utilização de um laboratório de sensibilização com os estudantes do curso Técnico em Saúde Bucal (TSB) da Escola Técnica de Saúde de Brasília (ETESB) como mediador da organização do processo de trabalho em saúde bucal. Durante a prática, foi realizada uma simulação de deficiências auditiva, visual, física, sensorial com o objetivo de estimular o desenvolvimento de um olhar humanizado e empático com os pacientes assistidos pela especialidade de Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais (OPNE). Método: foram utilizadas faixas de ataduras e estímulos sonoros afim de simular deficiências fisicas e sensioriais. Essa experiência mostrou-se efetiva no sentido de proporcionar o entendimento das barreiras que podem obstruir a participação plena e efetiva da pessoa com deficiência na sociedade, bem como a percepção da necessidade de melhoria do acolhimento e atendimento deste paciente.


Palavras-Chave: Acolhimento. Odontologia para pacientes com necessidades especiais. Metodologias ativas. Laboratório sensorial.

Publicado
Dez 4, 2020
##submission.howToCite##
MONTANDON, Fabiana Maria et al. Laboratório sensorial como estratégia educacional para o desenvolvimento de percepções nos estudantes do curso de formação de técnicos em saúde bucal. Revista Com Censo: Estudos Educacionais do Distrito Federal, [S.l.], v. 7, n. 4, p. 179-184, dez. 2020. ISSN 2359-2494. Disponível em: <http://periodicos.se.df.gov.br/index.php/comcenso/article/view/953>. Acesso em: 11 abr. 2021.