Raízes patrimoniais imateriais africanas: A filosofia de Magobe Ramose e a contribuição multifacetada de uma sabedoria milenar

  • Manoel Barbosa Neres UnB - Kilombo Mesquita

Resumo

O presente artigo tem por finalidade trazer à discussão importantes fundamentos do patrimônio cultural imaterial afro-brasileiro, enraizado no pensamento africano, concebido também por filosofia ubuntu. Tendo por referência as bases teóricas do pensador Magobe Ramose, a reflexão aprecia as conexões existentes nas dimensões individuais e coletivas, de convergências ou divergências existenciais, e a incidência disso no processo de harmonização/desarmonização do universo. Embora seja uma abordagem atemporal por concepção, intenta-se em promover importante diálogo com a contemporaneidade política, social, educacional e cultural, tendo em vista, inclusive, a situação de pandemia do coronavírus. O texto, baseado em pesquisa bibliográfica, busca evidenciar convergências nas concepções sócio-políticas de direita e esquerda, relações com o pensamento africano, analisado em um contexto de pandemia, incorporado em um escopo patrimônio- educacional.

Publicado
Ago 27, 2020
##submission.howToCite##
NERES, Manoel Barbosa. Raízes patrimoniais imateriais africanas: A filosofia de Magobe Ramose e a contribuição multifacetada de uma sabedoria milenar. Revista Com Censo: Estudos Educacionais do Distrito Federal, [S.l.], v. 7, n. 3, p. 196-201, ago. 2020. ISSN 2359-2494. Disponível em: <http://periodicos.se.df.gov.br/index.php/comcenso/article/view/903>. Acesso em: 28 set. 2020.