Educação Física e Cultura Corporal de movimento: uma perspectiva fenomenológica e semiótica

  • Caroline Amaral Franco Borges Unesp/UnB
  • Isabelli Guirelli Simões de Oliveira Unesp/UnB
  • Beatriz Almeida Amaral Unesp/UnB
  • Patrícia Manso de Lima Unesp/UnB

Resumo

A cultura corporal do movimento na prática docente do professor de Educação Física Escolar pode ser refletida por meio de diálogos, leituras, revisões e de aplicações de experiências vivenciadas no contexto escolar. Juntas, teoria e prática, alavancam a autonomia dos sujeitos no processo de ensino e aprendizagem. Pensando nisso, elaboramos o presente texto com o objetivo de proporcionar uma reflexão sobre o processo de transformação da Educação Física e da cultura corporal de movimento, trazendo ao debate questões filosóficas, na tentativa de abordá-las com uma linguagem mais comum ao cotidiano escolar. Com essa intenção, vamos destacar conceitos importantes apresentados no artigo seminal de Mauro Betti, “Educação Física e Cultura Corporal de movimento: uma perspectiva fenomenológica e semiótica”. Nesse texto, as observações realizadas pelo autor convergem para a formação integral do estudante e a estranheza com a complexidade dos conceitos apresentados, aos poucos, torna-se esclarecedora, sobretudo por meio de uma problematização reflexiva sobre os termos empregados, tais como “estranhamento”, “semiótica” e “fenomenologia”, além de sua aplicabilidade no campo da Educação Física Escolar.


Palavras-chave: Cultura Corporal do Movimento. Educação Física Escolar. Fenomenologia. Linguagem. Semiótica.

Publicado
Ago 31, 2021
##submission.howToCite##
FRANCO BORGES, Caroline Amaral et al. Educação Física e Cultura Corporal de movimento: uma perspectiva fenomenológica e semiótica. Revista Com Censo: Estudos Educacionais do Distrito Federal, [S.l.], v. 8, n. 3, p. 228-231, ago. 2021. ISSN 2359-2494. Disponível em: <http://periodicos.se.df.gov.br/index.php/comcenso/article/view/1200>. Acesso em: 27 out. 2021.